Importância do açúcar na formação da cárie

O açúcar que provoca esta doença, não é somente o refinado, mas, principalmente, o que está “escondido” nas massas (macarrão, lasanha, bolachas, pães, pizzas, sanduíches, pastéis, coxinhas, etc.), doces (caseiros, enlatados, guloseimas, coberturas, sorvetes, etc.), refrigerantes (inclusive os “light”), sucos e cafés que contenham açúcar. Para que exista a cárie, bactérias, dentes e açúcar, precisam ficar algum tempo em contato, daí porque alimentos que deixam restos na boca, como bolachas recheadas, doces mais grudentos, chicletes e gomas, são tão cariogênicos (provocam cárie).
A quantidade de açúcar ingerido não é importante e sim a quantidade de vezes, ou seja, se João come 20 bolachas de uma só vez e Maria come 1 bolacha agora e outra com um intervalo de 1 hora, ela terá, provavelmente, 2 vezes mais cáries que seu amigo. Os suecos, que tem um excelente padrão de prevenção, sugeriram o chamado “Domingo Doce”, onde se evita, durante a semana, a ingestão de cariogênicos e, no domingo (ou um outro dia à escolha do cliente), libera o uso de todo tipo de comida. Isso tem reduzido muito o índice de cáries, principalmente, entre crianças.